principiante
Agora você está lendo
Investir em ETFs - quais são as desvantagens?
0

Investir em ETFs - quais são as desvantagens?

criado Forex Club4 2021 Maio

Investimento Passivo está se tornando cada vez mais popular. É freqüentemente mencionado que ETF é um excelente instrumento financeiro para um investidor individual. Nada poderia estar mais errado. Claro, investir em ETFs tem suas vantagens enormes, mas não existem produtos perfeitos. Os ETFs também têm desvantagens que muitas vezes são esquecidas. O artigo apresenta os pontos fracos desse instrumento. 

Você compra empresas boas e más

Um dos maiores "Falhas ocultas" ETFs que dão exposição a um determinado mercado de ações são muito diversificados. Claro, eles estarão lá em breve "Alegações"que diversificação é uma boa solução, pois minimiza o risco específico. Porém, quanto maior a diversificação, menor a chance de gerar um retorno melhor do que o índice. A diversificação, no caso de muitos ETFs, é movida para a variante extrema. Por exemplo, o ETF iShares S&P 500 mapeia o índice S&P 500. Como resultado, ele consiste em 500 componentes. Como todos os componentes do índice são adquiridos, não há chance de retornar um retorno diferente do índice.

Ao comprar todo o "índice", um investidor adquire empresas de boa qualidade e empresas que têm dificuldade em gerar valor para o acionista. Por exemplo, ao comprar ações em um ETF no índice CAC 40, um investidor da carteira tem exposição tanto às ações da Renault, cujas ações caíram mais de 5% em 50 anos, quanto às ações da LVHM (proprietário de roupas de luxo, perfumes ou marcas de álcool). 

Ao adquirir um ETF, um investidor não pode selecionar individualmente empresas com maiores perspectivas de crescimento e melhor gestão, ele deve aceitar a natureza "massificada" deste instrumento. Ao comprar um ETF, o investidor concorda em comprar uma cesta de ações, que inclui tanto as ações das melhores empresas de um determinado índice quanto as de terceiros. O investidor deve estar ciente de que parte do capital alocado na aquisição de um ETF será baixado em decorrência da aquisição de ações em empresas de baixa qualidade. Claro, a vantagem desta solução é economizar tempo e não se preocupar com quem será "Próxima Amazon". Ao adquirir exposição a todo o mercado, o investidor investirá algum capital em outro sucesso no mercado de ações. No entanto, a taxa final de retorno sobre o capital investido ficará ligeiramente abaixo do benchmark. 

Uma "garantia" de um resultado pior que o índice

O ETF não oferece melhor retorno do que o índice. No longo prazo, é impossível para o ETF quebrar o índice. Como o ETF imita o índice e cobra uma taxa de administração, ele gera uma taxa de retorno menor que o índice. 

Outro problema que não é visto com ETFs é o mercado de urso. Enquanto estratégias ativas podem tentar "usar" os momentos do mercado em baixa para selecionar ações que foram superestimadas, no caso de ETFs tal estratégia não é possível (todo o índice é comprado). Isso foi evidenciado pelo exemplo do ano passado. Do início de maio de 2020 ao final de abril de 2021, as ações do Sabre ganharam mais de 100% em valor. Durante esse tempo, o preço do S&P 500 aumentou "apenas" 40%. A corporação também vale a pena mencionar Alfabetoque aumentou cerca de 80% durante o ano. 

Investir com ETFs não é um esquema para enriquecimento rápido. É, portanto, um produto mais adequado para investidores com planos de longo prazo que preferem investir seus fundos "passivamente" em vez de ativamente. 

Risco de moeda

Outro aspecto que o investidor deve levar em consideração é a moeda em que o ETF é cotado. Por exemplo, se um investidor comprar iShares MSCI Brazil ETF (EWZ), ele terá exposição a empresas brasileiras que são principalmente avaliadas em reais (por exemplo, na bolsa B3). Ao mesmo tempo, o próprio ETF é cotado em dólares americanos. Por este motivo, o investidor está exposto ao risco cambial, pois a taxa de retorno alcançada expressa em zlotys polacos será diferente da taxa de retorno do ETF (valorizado em dólares americanos). O investidor deve estar ciente disso.

Por outro lado, o risco cambial pode ser uma vantagem, pois um investidor diversifica sua cesta de moedas e reduz a influência de seus ativos na política de um banco central.

Erro de rastreamento (troca de ETFs)

Com alguns ETFs, o investidor não compra as ações das empresas que compõem o índice, mas uma "aproximação" dele. Isso é especialmente verdadeiro para ETFs com exposição a mercados menos líquidos. Quanto pior o mapeamento do gerenciador de ETF, maior a diferença entre o benchmark (índice) e o retorno do ETF. Essa situação é chamada de "erro de rastreamento". 

Um exemplo interessante são os ETFs com replicação de índice sintético. Um exemplo é o Lyxor WIG 20 UCITS ETF - Acc, que tem em seu portfólio ações como Amazon (9,5%), Apple (9,2%) ou 10X Genomics INC (9,1%). Ao mesmo tempo Lyxor assinou um contrato com o Société Générale em um acordo de swap. A Lyxor comunica a taxa de retorno de seu portfólio ao receber a taxa de retorno do índice WIG 20. A taxa do ETF se aplica à taxa gerenciada e ao custo de manutenção do swap.

Lyxor etf

Źródło: lyxoretf.pl

Os motivos populares que contribuem para uma "falha de replicação" incluem:

Realizando uma revisão do índice

Os índices são revisados ​​em intervalos específicos (trimestralmente, anualmente) nos índices. Como regra, os índices de ações são ponderados pela capitalização de mercado após levar em consideração o fator de free float. No caso de grandes estreias, é feito um ajuste extraordinário do índice. Ao mesmo tempo, algumas empresas são removidas do índice durante as fusões de mercado e outra empresa é substituída. O gerente de portfólio deve rastrear o índice imediatamente. No entanto, às vezes, quando o índice consiste em ativos ilíquidos, a demanda de um ETF pode fazer com que o preço das ações suba. Como resultado, o ETF pode adquirir ações dessa empresa bem acima do valor intrínseco.

Reinvestindo dividendos

Os ETFs com uma "função de reinvestimento de dividendos embutida" podem ter um retorno menor do que o índice de retorno total. Isso pode ocorrer porque o ETF está reinvestindo os recursos arrecadados com os dividendos mais tarde do que o indicado no cálculo de retorno total.

Custos de gerenciamento de ETF

Embora os custos de gestão de fundos sejam muito mais baixos do que no caso de fundos ativos, eles não são zero. Esses custos são refletidos nos custos de gestão (TER). Isso faz com que o ETF atinja uma taxa de retorno menor do que o índice.

Avaliação e ETFs

Os ETFs também têm a desvantagem de serem "insensíveis" às avaliações. O ETF é projetado para mapear o índice independentemente das circunstâncias do mercado. O influxo de recursos para o ETF exige que o gestor adquira ativos de acordo com os pesos dos componentes do índice. Os gestores de ETF não prestam atenção se os ativos adquiridos são "caros" ou "baratos". Como resultado, durante a mania do mercado, o ETF tem de segui-lo. Independentemente de fazer sentido financeiro ou não. Isso tem consequências nos tempos da "bolha".

Se hoje os índices antecedentes se aproximam de seus picos históricos, houve períodos em que os índices apresentaram tendência de queda por muitos anos. Um exemplo é o índice Nasdaq Composite, que quebrou o pico de 2000 somente após 15 anos. Ao adquirir um ETF hipotético com exposição a esse índice, ele teve que esperar muitos anos para "ganhar" com um investimento passivo. Outro exemplo é o WIG 20 TR (retorno total - incluindo reinvestimento de dividendos), que ao final de 2021 é inferior ao pico de 2007. Como você pode ver, investir em ETFs não é uma "garantia" de lucro.

"ETFs especiais" (alavancado, resumido) - "nuances" que se traduzem na taxa de retorno

Com o desenvolvimento do mercado de ETFs, sua especialização aumentou. Como resultado, houve uma "inundação" de ETFs com diferentes estratégias de investimento. Isso levou à criação de ETFs com características diferentes. Você pode citar, entre outros ETFs alavancados com base em Índice de volatilidade VIX, VIX curto ou estratégias de chamadas cobertas. 

Alguns desses "ETFs especializados" não funcionam bem como um investimento de longo prazoporque visa investir ativamente. Um exemplo seria o Lyxor Daily ShortDAX x2 UCITS ETF - Acc, que é um fundo alavancado (ganhando contra quedas). Desde 2010, o ETF desvalorizou mais de 96% do seu valor.

Por esse motivo, o investidor deve verificar a “especificação” desse instrumento antes de comprar um ETF. Isso o salvará de um investimento insensato.

Investir em ETFs - Riscos Raros

Às vezes, investir em um ETF acarreta riscos de probabilidade muito baixa. No entanto, eles não são nulos. Isso se aplica, inter alia, a mudanças no benchmark, risco de contraparte ou "ser retirado da bolsa de valores".

O risco de mudar o benchmark surge quando o emitente de um ETF decide alterar o índice a que corresponde. Só pode ser uma alteração de um índice específico (por exemplo, de MSCI para S&P). No entanto, às vezes um ETF pode decidir alterar sua política de investimento, o que pode ser contrário às expectativas do investidor. Como resultado, os ativos são investidos de forma diferente e um benchmark diferente é criado como referência. 

Um exemplo é o ETF Tierra XP Latin America Real Estate, que no segundo semestre de 2017 mudou sua política de investimentos criando o ETFMG Alternative Harvest ETF (MJ), que foi o primeiro ETF com exposição ao mercado de maconha. Claro, esse risco se aplica mais frequentemente a ETFs impopulares que têm poucos ativos sob gestão (AUM).

Risco da contrapartida (risco de contraparte) aplica-se a ETFs que usam replicação sintética. Esse risco está relacionado à possibilidade de inadimplência dos contratos de swap com o gestor de ETF. 

Risco de exclusão - Esta é a situação em que o gestor do ETF decide encerrar. Isso pode ser devido a recursos insuficientes. Em tal situação, a ETF não constrói uma "massa crítica" adequada. Como resultado, a receita da taxa de administração gerada não cobre os custos de manutenção do ETF. Isso faz com que manter o ETF "vivo" financeiramente não seja lucrativo. A liquidação do fundo implica a necessidade de retirá-lo da lista e comprar o título de participação dos clientes. Em tal situação, o investidor pode ser forçado a vender o ETF com prejuízo.

soma

Os ETFs revolucionaram a indústria de gerenciamento de ativos. Os ETFs, apesar de serem um instrumento financeiro muito interessante, apresentam uma série de desvantagens inaceitáveis ​​para muitos investidores. 

  • Um deles é a diversificação excessiva, o que faz com que o ETF adquira tanto as empresas que são líderes do setor quanto as ações de empresas em fase de declínio. 
  • Outra “desvantagem” é a “garantia” de obter um resultado pior do que o benchmark. Obviamente, deve-se lembrar que os fundos administrados de forma mais ativa não conseguem vencer o mercado no longo prazo.
  • Para alguns ETFs, a política de investimento pode não ser clara para o investidor. Um exemplo seriam os instrumentos que investem em futuros de índices de volatilidade (compra ou venda), cujo mal-entendido pode ter um impacto negativo na taxa de retorno alcançada. 

Claro, as desvantagens acima mencionadas se destinam a ilustrar que investir em ETFs não é a solução ideal. No entanto, apesar de suas desvantagens, eles ainda são um instrumento financeiro que oferece exposição barata a muitos segmentos de mercado interessantes. Outra vantagem dos ETFs é que eles oferecem ativos diversificados com baixos custos de gestão. Você pode ler mais sobre como investir em ETFs na seção GUIAS.

O que você acha disso?
Eu
0%
interessante
60%
Heh ...
20%
Chocar!
20%
Eu não gosto
0%
ferimento
0%
Sobre o autor
em branco
Forex Club
O Forex Club é um dos maiores e mais antigos portais de investimento da Polônia - ferramentas de câmbio e negociação. É um projeto original lançado em 2008 e uma marca reconhecida focada no mercado de câmbio.
Comentários

Deixe uma resposta